O primeiro homem mau ou O livro que me deixou com olhar “What the fuck” por 80% dele foi o primeiro da Miranda July que li.

Acabei tendo um primeiro contato com ela quando fui ler alguma crítica do filme Pequena Miss Sunshine e acabei descobrindo este gênero Quirky de filmes.

Quirky = lembre de Juno, Miss Sunshine e Moonrise Kindgom, quando falamos de filmes. Mas e quando falamos de livros?

Vamos falar sobre O primeiro homem mau.

Uma mulher já de meia idade é apaixonada por um homem em seus quase 60 anos. Ela não é sociável e fantasia uma história que não está lá, de amor que vem de vidas passadas. Ok. Eles se conheceram no trabalho, ele faz parte do Comitê da empresa. Ok.

No meio da fantasia toda, surge em uma reunião na empresa uma questão: a filha dos donos da empresa precisa de um lugar para ficar na cidade, pois vai começar um curso? Quem pode acolhê-la?

Claro, sobrou para a nossa protagonista. E é aqui que começa a coisa mais What the Fuck que já li. Elas não se entendem, pois a filha dos chefe é uma escrota metida e violenta. A empresa se formou para ensinar defesa pessoal. Logo, para combater o jeito agressivo da filha, a mulher faz o que? Luta com ela. E aí elas começam a criar uma cumplicidade.

Não vou me estender muito, senão conto a história inteira. Mas saiba que é uma história de amor e de descoberta da maternidade. Um amor incomum – da protagonista com o homem do comitê, depois com a filha dos chefes e por último o amor materno pelo “filho”, e a linha de pensamento dos personagens é incrivelmente…. real?

A filha dos chefes que fala que acredita ser misógina, mas no fundo ela sabe que é lésbica – e é por isso que acaba “escolhendo” morar com a nossa protagonista; a forma como a nossa protagonista tenta esconder dela mesmo que está tendo fantasias sexuais com outra mulher (de uma forma que é também um What The Fuck); um homem de 60 anos “apaixonado” por uma menina de 16 anos e esconde de todos porque sabe que isso tem outro nome.

As coisas vão acontecendo e se transformando de uma forma que você fica perplexa. Eu não sei se gostei muito do livro ou médio. Ele mostra como é o egoísmo humano, muito muito. E hipocrisia também. E algumas formas que as pessoas encontram de satisfazer desejos velados e proibidos.

What the fuck?! Descreve tudo que eu queria dizer. Vários deles.

Anúncios