Você gosta de distopias como Jogos Vorazes, Divergente e Legend? Ainda não leu o primeiro livro das Crônicas de Amor e Ódio? Então, vem cá que eu vou te contar um pouquinho do que é o livro The Kiss of Deception 😉 É considerado como fantasia pela Editora Darkside Books, mas tem toda a fórmula de uma distopia juvenil.

the-kiss-of-deception-capa

Sinopse: Tudo parecia perfeito, um verdadeiro conto de fadas menos para a protagonista dessa história. Morrighan é um reino imerso em tradições, histórias e deveres, e a Primeira Filha da Casa Real, uma garota de 17 anos chamada Lia, decidiu fugir de um casamento arranjado que supostamente selaria a paz entre dois reinos através de uma aliança política. O jovem príncipe escolhido se vê então obrigado a atravessar o continente para encontrá-la a qualquer custo. Mas essa se torna também a missão de um temido assassino. Quem a encontrará primeiro? Quando se vê refugiada em um pequeno vilarejo distante o lugar perfeito para recomeçar ela procura ser uma pessoa comum, se estabelecendo como garçonete, e escondendo sua vida de realeza. O que Lia não sabe, ao conhecer dois misteriosos rapazes recém-chegados ao vilarejo, é que um deles é o príncipe que fora abandonado e está desesperadamente à sua procura, e o outro, um assassino frio e sedutor enviado para dar um fim à sua breve vida. Lia se encontrará perante traições e segredos que vão desvendar um novo mundo ao seu redor. O romance de Mary E. Pearson evoca culturas do nosso mundo e as transpõe para a história de forma magnífica. Através de uma escrita apaixonante e uma convincente narrativa, o primeiro volume das Crônicas de Amor e Ódio é capaz de mudar a nossa concepção entre o bem e o mal e nos fazer repensar todos os estereótipos aos quais estamos condicionados. É um livro sobre a importância da autodescoberta, do amor, e como ele pode nos enganar. Às vezes, nossas mais belas lembranças são histórias distorcidas pelo tempo.

O primeiro livro da trilogia Crônicas de Amor e Ódio nos apresenta a uma história com conspirações políticas, magia, amadurecimento de personagens e… triângulo amoroso.

Lia é uma jovem que gostaria de casar por amor, mas os seus pais acabam arranjando um casamento que irá fortalecer a aliança de seu reino (Morrighan) com o reino de Dalbreck, esperando que assim evitem a invasão e a guerra contra o povo de Venda, que eles consideram bárbaros. Lia é a primeira Filha logo ela tem que ter um Dom; no entanto, ele ainda não foi revelado para ela e o fato de não poder casar por amor faz com que ela seja adolescente rebelde e fuja na noite anterior ao seu casamento.

Mal sabia que isto traria mais do que grandes aventuras: isto trouxe muitas revelações sobre ela mesma, sua família e seu destino. Acompanhada de sua fiel escuderia, elas partem para a cidade de Cívica, onde Lia se torna uma garçonete. Tentando dificultar os rastros para possíveis caçadores de recompensas, ela consegue retardar os passos de um assassino e também do príncipe que foi abandonado no altar. Entretanto, eles a encontram e resolvem conhecê-la melhor – e, consequentemente se apaixonarem por ela.

Clichês à parte, a história tem uma narrativa muito boa e uma escrita que não te deixa entediado. É interessante ver o amadurecimento da princesa (mesmo que seja irritante o mote “quero casar por amor”) e toda a sua evolução na história – inclusive as dicas que alguns momentos de sua vida nos dão que o Dom dela foi reprimido pela mãe.

Com cenas engraçadinhas e alguns momentos tensos – como atravessar uma floresta que ninguém sobrevive à noite – as mais de 400 páginas nos levam a um hangcliff para o próximo livro interessante (ainda bem que a Darkside já divulgou o lançamento próximo da continuação).

Uma leitura divertida e bem feita.

Estrelas: 3/5.

Anúncios